Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

Um caso suspeito

ATENÇÃO: ESTE POST RECEBEU UMA RETIFICAÇÃO ÀS 23H00 DO DIA 29 - ESTÁ NO FINAL DO TEXTO.

O TÍTULO, "DADOS PRIVADOS À VISTA DO MUNDO" TAMBÉM FOI MODIFICADO PARA REFLECTIR A RETIFICAÇÃO.

 

A notícia é um fait divers mas teve alguma atenção aqui em Portugal e nos Estados Unidos: um antigo fugitivo à justiça de lá foi apanhado por cá ao fim de 41 anos!

À primeira vista é apenas curioso.

Os factos: em 1962 George Wright foi condenado a 15-30 anos pela morte de um empregado de estação de serviço durante um assalto, em New Jersey. Em 1970 fugiu da prisão, juntou-se ao grupo Black Liberation Army e em 1972, juntamente com outros militantes, raptou um avião da Delta que foi levado para Argélia. A partir daí desapareceu.

Descobriu-se agora que vivia há mais de vinte anos em Almoçageme, com uma mulher portuguesa e dois filhos. Trabalhava nisto e naquilo, fala português perfeitamente e a comunidade, que o julgava africano, gosta dele.

Segundo o Huffington Post e o New York Times, as “autoridades americanas” identificaram-no pela impressão digital no BI português, onde figura como José Luís Jorge dos Santos. Comprovada a identidade, aguarda na prisão, em Lisboa, que os papeis de extradição sejam processados. Fim da história.

 

Pois, à primeira vista, curioso.

À segunda vista, impõe-se uma pergunta: como é que uma “força tarefa” dos U.S.Marshals deu com a impressão digital no BI do José Luís?

A resposta só pode ser uma: o Justice Department tem acesso à base de dados do Ministério da Justiça, e não só tem acesso como se deu ao trabalho de a comparar com as bases de dados de criminosos americanos – não desde ano, não de há cinco anos, mas de há trinta e tal anos! A polícia americana tem estado entretida a comparar, tipo CSI, os milhões de impressões digitais dos arquivos portugueses com os milhões dos arquivos americanos, um a um.

 

(É interessante lembrar que nos Estados Unidos não existe Bilhete de Identidade e mesmo a carta de condução não tem impressão digital. Só se pode tirar as impressões digitais de um cidadão se for suspeito de alguma coisa e detido.)

 

Ninguém é a favor dos criminosos ficarem impunes, só porque tiveram a esperteza de fugir para o fim do mundo. Mas ninguém pode ser a favor da nossa base de dados nacional ser espiolhada por um Estado estrangeiro, amigo ou inimigo.

Tanta conversa da Comissão Nacional de Protecção de Dados e afinal os dados foram globalizados!

 

Conclusões:

Os delinquentes portugueses ao nível dos milhões de euros têm impunidade vitalícia, mas os americanos nunca mais têm descanso na vida;

A CNPD é mais uma comissão da tanga, que não serve para nada;

A nossa soberania só existe nos nossos sonhos.

 

RETIFICAÇÃO

Novas informações que recebemos permitem traçar um histórico diferente e chegar a outras conclusões. 

George Wright ligou para uma irmã nos Estados Unidos, a partir do seu telemóvel. O telefone da irmã estava sob escuta e isso permitiu traçar a origem em Portugal. As autoridades norte-americanas enviaram uma carta rogatória para as autoridades portuguesas, para que procurassem o autor do telefonema. A carta incluia os dados do processo, inclusive as impressões digitais. A partir destas, foi fácil a PJ encontrar o portador do BI.

Portanto tudo legal, segundo esta fonte. Não temos razão para supor o contrário.

Por outro lado, em Portugal as impressões digitais só começaram a ser digitalizadas há poucos anos, e portanto o BI de José Luis certamente que não está incluido.

Enganámo-nos. Mas que era uma bela teoria da conspiração, era!

E continuamos a achar que a CNPD não funciona, mas por outras razões...

publicado por Perplexo às 01:45
link do post | comentar | ver comentários (89) | favorito

mais sobre mim

Veja também:

"Pesquisa Sentimental"

 

 

contador

pesquisar

posts recentes

Concurso de blogues

Voltarei

Silêncio...

Horta e Alorna

A Selecção, minuto a minu...

Cosmopolis

Millôr Fernandes

A maçã chinesa

Transigir ou não transigi...

EDP, o verdadeiro escânda...

arquivos

Janeiro 2013

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

who?

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!

subscrever feeds