Segunda-feira, 7 de Março de 2011

Luta é Alegria

“Os Homens da Luta são uma evidente paródia aos homens da luta. Mas os homens da luta estão radiantes com a vitória dos Homens da Luta”, escreveu

José Teófilo Duarte, com uma certa graça, no seu Blogoperatório, logo no dia seguinte à surpreendente vitória da dupla no Festival da Canção.

 

A vitória é surpreendente apenas porque não se esperava que saísse alguma coisa de minimamente significante de um concurso que há mais de quarenta anos sempre primou pela insignificância – musical e intelectual. Deve-se à votação em massa do público, e essa votação só pode representar uma atitude política, e não estética. Musicalmente, a prestação dos Homens da Luta é tão má como todos os outros concorrentes, senão pior do que a maioria. O que atraiu os telespectadores foi a contestação expressa na letra e na atitude. O pastiche que os Homens da Luta fazem dos tempos do PREC, que eles sempre utilizaram e que irritava tanto a esquerda como a direita, de repente passou a ser uma piada de bom gosto.

 

Jel e Falâncio , atribuindo-lhes inteligência que certamente têm, sempre souberam que andam a fazer troça do radicalismo desses anos revolucionários, usando-a para fazer troça do descalabro em que a revolução caiu. Neste aspecto pode-se dizer que eles são moderníssimos, ao usar uma espécie de meta linguagem. Andam a gozar com toda a gente, da esquerda à direita, porque para eles o humor é provocação e não conhece limites, nem ideológicos nem éticos. Por outro lado, como muito bem diz Carlos Vaz Marques, “estão a falar da nossa situação actual de uma forma de tal modo irónica que dificilmente poderá vir a ser apropriada por qualquer segmento político organizado”. É isso mesmo. Como Patty Smith, eles afirmam “outside is the side I take”.

 

A situação é muito clara: as pessoas andam tão desesperadas e irritadas com o que se está a passar no país que qualquer atitude pública de crítica tem imediatamente grande projecção e provoca ondas de choque – na simpatia do público e na interpretação/apropriação dos intelectuais.

A direita não representada na AR (nacionalistas, fascistas, monárquicos integralistas, ultra-católicos) gosta dos ataques ao regime republicano democrático.  E a esquerda igualmente sem representação parlamentar (que não se identifica com a rigidez ideológica do PCP e do BE) aprecia as críticas à inoperância e incompetência da governação.

 

Já no ano passado os Xutos e Pontapés tinham inadvertidamente disparado essa veia contestatária com a sua “Sem Eira Nem Beira” – e que só não teve seguimento porque eles, cobardemente, se apressaram a desmentir o óbvio, dizendo que o “engenheiro” da letra não era o “ingenheiro” da vida real.

Há um mês foram os Deolinda, e as ondas de choque ainda se estão a expandir – não se sabe até onde. E agora os Homens da Luta vêm alargar as queixas sectoriais dos jovens à rasca à população de todas as idades.

Os políticos de serviço já perceberam o perigo e usam a lógica mais básica: as atitudes contra o status quo são fascistas. Mas o espantalho do fascismo não assusta ninguém, porque é evidente que não existem nem condições nem personalidades para tornar viável uma solução tão estúpida. O que as pessoas querem é uma República Democrática VERDADEIRA, com melhor distribuição de sacrifícios e rendimentos e a punição dos corruptos e dos delinquentes económicos.

Ninguém tem uma solução para o impasse, e portanto toca a cantar a ver se com chacota e ironia se vai lá. É exactamente o que sugere o título da música da dupla: “Luta é alegria”. E o que propõe a letra: “Luta assim não dá, vamos mas é trabalhá”. A ver vamos.

publicado por Perplexo às 01:48
link do post | comentar | favorito
51 comentários:
De angelo a 7 de Março de 2011 às 13:30
o seu texto diz tudo o que penso muito
obrigado adorava ver esta gente toda a
criar um partido , esta geraçäo rasca
que tanto estudou , e con certeza à muita
gente capaz, adovara ver politicos ser rotulo
idologias que hoje quanto a mim se pode viver sem
criar algo de novo onde o ser humano ou o povo
esta a frente de qualquer poder economico È UTOPICO e impossivel ,mas è assim que vejo
o futuro a crise social ja começou e pelos visto
vai ter dimençöes que daqui a uns anos se lera nos livros de historia , as vezes penso que o melhor era acabar tudo e começar de novo

mais uma vez obrigado por este texto täo poucas palavras que dizem muito do pais que amo
que muitas vezes odeio, a mas ao fim o amor È MAIS
FORTE
De geração bem na vida a 7 de Março de 2011 às 14:22
Ângelo, já que pertence (creio) a esta "geração à rasca" que tanto estudou, podia começar por demonstrá-lo, começando por escrever em bom Português e não nesse texto de analfabeto diplomado (lacunas do sistema educativo que he permitiu ir progedindo ou demasiado copianço na faculdade, ou ambos?)
De josé a 7 de Março de 2011 às 14:29
E que tal aprender a escrever sem erros antes de criticar os outros?
De ana a 7 de Março de 2011 às 20:22
progedindo ????? ou progredindo? Tambem é analfabeto diplomado??
De Lynce a 7 de Março de 2011 às 21:49
Quem nunca se enganou a escrever uma palavra, que atire a primeira pedra. Folgo em saber que estou na presença de um ser unico no universo, de alguém que nunca falhou. Parabéns pelo feito.
De directo (na lingua de CAMÔES a 7 de Março de 2011 às 21:10
mas qual português, queres dizer Brasileiro, pois atté a limgua estes politicos da treta deixaram morrer, agora já não falamos a lingua de Camões, falamos a lingua de Alvares Cabral que foi quem descobrio o Brasil.
amigo "geração bem na vida" tens este nome porque provavelmente és um filhinho de papai rico ou de um trafulha politico, pois não entendo como é que nesta conjectura social ainda há alguem bem na vida (desculpa é conjetura, ou serrá que esta palavra não hexiste?), por acaso não ouvi ainda a musica, mas, já foi tanta porcaria ao festival que esta com certesa não irá deixar oma imagem pior que a que o pais já tem com toda a corrupção nele hexistente, nós somos um pais de letrados mendigos, gasta-se fortunas para acabar um curso e depois vamos pedir esmola, sim porque nem todos têm a sorte de socrates de arranjar um bando de ignorantes para votar para que ele arranje um grande tacho para ele e umas marmitas para os amigos dele, se calhar tu és um desses detentores de marmita
De Ortográfico a 7 de Março de 2011 às 19:32
O comentário que antecede foi escrito ao abrigo do acordo horto-gráfico, ;-) lololol.....
De Anónimo a 7 de Março de 2011 às 19:34
o comentário de angelo foi escrito ao abrigo do acordo horto-gráfico, ;-)) lolololololol.....
De MARIA a 7 de Março de 2011 às 14:25
Eu que faço parte da geração rasca, não posso acreditar que lhes demos razão. Somos mesmo a geração rasca, sem objectivos, sem bom senso, sem espírito crítico, o que interessa mesmo é dar nas vistas como sendo contestatários. No entanto quando chegam ao patamar dos outros são exactamente iguais, já se esqueceram dos tempos da contestação. É preciso mudar mentalidades e urgente.
De Ivo Ramos a 7 de Março de 2011 às 14:36
Depois de José Coelho ter 180 mil votos nas últimas eleições presidenciais, agora temos os "Homens da Luta" a representar, talvez não o país, mas a estação de televisão pública, num concurso internacional que, apesar do seu declínio, é visto por algumas centenas de milhar de espectadores.
E depois digam-me que não andamos a brincar com o fogo!
De Nuno Magalhães a 7 de Março de 2011 às 16:24
Não será o fogo que anda a brincar connosco ?!
De Buuuu! a 7 de Março de 2011 às 19:42
Representam o país UMA OVA! Esses senhores quando muito representam quem neles votou! E digo quando muito porque até esses se soubessem no que isto iria dar não teriam seguramente votado.

Esses senhores ganharam por acidente de palhaçada.... estamos no carnaval ninguém leva a mal, etc e tal.....

Já só falta elegerem o BE..... o Chico da Louça morria de susto....

De BELA a 7 de Março de 2011 às 20:14
O xo Presidente da Republica é que não representa de certeza com mais de 50% de abstenção no país nas eleições e num pais onde o associativismo é dos mais fortes do mundo.... não me parece que seja falta de interesse na politica mas falta de interesse NESTA política. As Pessoas (para não falar em povo) estão fartas de quem fale muito e so faça asneiras...já os senhores da luta a brincar PUMBAS poem o dedo na ferida.... aBRincar a brincar foi o macaco ao traseiro:) da mãe... e neste caso MUITO BEM!
Luta luta camarada luta....:)
De directo (na lingua de CAMÔES) a 7 de Março de 2011 às 21:22
se calhar é melhor votar no socrates que te aumenta o IVA quando prometeu não aumentar os impostos já para não falar no desemprego, ou nã ferreira leite que te aumentou a idade de reforma e deu inicio á subida do desemprego, ou no paulo portas que compra submarinos quando temos tanta gente em Portugal a passar fome, disculpando-se que tinha um mandato do povo quando na realidade o que ele tinha era um acordo com o PSD, queres uma bou rasão para eleger o BE ou o PCP ou quem quer que não seja nenhum dos outros, pois eu doute uma boa, nenhum deles esteve no governo e por isso não sabemos do que são capases, por isso devemos dar-lhes o beneficio da duvida e um voto de comfiança
De Paulo Silva a 7 de Março de 2011 às 14:39
Bom Português?????

Lacunas do sistema educativo???? Sim é um bom exemplo. "...he permitiu...." "...progedindo..."

Típico Chico Esperto... Critica mas faz o mesmo ou pior.
De José Carlos Gusmão a 7 de Março de 2011 às 15:15
Isto é tão claro como a água. Os homens da luta são o exemplo daquilo que nós portugueses deveríamos ser: Revolucionários no bom sentido e não ter medo de denúnciar aquilo que está mal mesmo que através da música. Já assim fazia o Fernando Tordo, o Carlos Mendes, o Paulo de Carvalho e mesmo a Simone. Se dizem que aquela música e aquele figurino são uma palhaçada eu digo-vos que mais palhaçada fáz o nosso(?) primeiro ministro quando vai ao estrangeiro tentar explicar o inexplicável depois de estar mergulhado em mentiras desde que chegou ao poder ou talvez até antes. Por isso, meus amigos, não se preocupem porque os nossos Homens da luta vão certamente fazer melhor figura do que os que ganharam a edição da Eurovisão anterior ao ladrarem o Alléluia.
Tenham lá calma e não façam tempestades em copinhos de aguardente. Vivam os Homens da luta e VIVA PORTUGAL!!!
De M a 7 de Março de 2011 às 16:46
Realmente é de comparar Fernando Tordo, Paulo de Carvalho, Simone com ísto. Esses realmente fizeram contestação mas com cabeça, com qualidade nas letras e nas vozes
De maria pimenta a 7 de Março de 2011 às 15:18
Olá,
tenho 50 anos, e acho OS HOMENS DA LUTA, o máximo.
São provocadores, dizem o que me apetece dizer, têm piada, e sinceramente acho que só não abana estas mentalidades se as mesmas forem quadradas.
Como já deu para perceber não pertenço à Geração à Rasca, mas não sou indiferente a esta realidade. Trabalho com esta geração, os meus filhos pertencem a esta geração e é com muita pena que assisto às dificuldades que têm a todos os níveis.Em relação à minha geração, e a outras, esta é sem dúvida a mais competente, a mais culta e que por estranho que pareça, a mais honesta. Acho que efectivamente as pessoas que nos governam têm tido muito pouco respeito, não só por estes jovens como em geral por todos nós. Temos que lutar pela ética, pela honestidade, pelos valores fundamentais da vida!
Tenho inveja dos HOMENS DA LUTA. Neste momento ( e até mesmo com esta idade) adorava fazer parte deste grupo. Não se deixem calar! Se é para mandar a Merkel à merda, mandem com as letras todas.
De bandarra a 7 de Março de 2011 às 17:11
A senhora, desculpe se a ofendo, deveria pôr pimenta na lingua quando diz asneiras já que pelo lido não lhe o fizeram na devida altura. Imagine só a cena - Óh Pimenta, empresta aí uns milhões de euros! ..ai não emprestas? Vai á merda!
....e o que é que quer o povo?.....
De Maria pimenta a 7 de Março de 2011 às 18:08
Pois é o povo quer dinheiro para um carro novo! E Então?
A minha geração e se calhar a sua, aprendeu a viver para a montra! Não me parece que Esta geração, tenha os mesmos maus hábitos que nós tivemos, até porque não podem. E escusado será explicar, que é mais uma daquelas dos Homens da Luta, para inteligentes!
De bandarra a 10 de Março de 2011 às 16:12
As nossas gerações coabitaram e até confraternizaram, mas não são a mesma. A minha mais antiga memória de montra que me atraia era uma pastelaria com bolos acabadinhos de fazer quando eu ia para o trabalho, litografia rua da rosa, 14 anos, eléctrico antes das sete e meia para bilhete operário. Mas tudo o que podia sentir na boca era saliva que depois ajudaria a digerir o almoço que na pasta de cabedal ia. Minha querida, permita que assim a trate pois me parece, apesar do quid pro quo, ser pessoa de sãs sentimentos, nunca usei roupa ou calçado "de marca". A minha juventude ainda foi passada num tempo em que não havia coca-cola nem macdonalds , em que se agradecia cada refeição que se obtinha, e ainda hoje antes de adormecer pergunto a mim próprio - antónio , ganhaste o que comeste hoje? E tirando alguns domingos a resposta é afirmativa, porque ainda não sou reformado e no pós laboral trato de uns frutos legumes e hortaliças que complementam as minhas necessidades alimentares. E que tristeza sinto ver campos abandonados e frutos por colher.. Porque trabalho não falta, o que falta são empregos. Mas ficávamos um dia a falar. Cumprimentos.
De João Cunha a 7 de Março de 2011 às 15:30
de tudo o q já li nos últimos dias, esta foi a única interpretação que "está lá"
De carlos a 7 de Março de 2011 às 15:51
Ainda não consegui perceber, o que é isso da geração rasca e à rasca, nasci em 1959, e desde que me lembro sempre andámos à rasca.Eu pessoalmente gosto de dizer que sou da geração do Rock e acho que é uma geração interessante,com alguma consistência, mas sempre à rasca, mas em portugal devo ser outra coisa com certeza, em virtude de acharem que o Rui Veloso é o pai do Rock português,(uma coisa estranha,uma coisa estranha,pois na realidade só tem aí umas 5 músicas de rock) e já agora os Xutos o que é que são? "Os pais do Fado?".
Somos realmente um povo estranho, mas porreiro.
Até votamos no Esquecimento e ignorãncia
De Dina a 7 de Março de 2011 às 15:56
Tenho 30 anos e até que gostei de Os Homens da luta terem ganho. Em Portugal as grandes viragens começaram sempre na musica pode ser que seja desta... Parabéns pelo texto, mt bom. Sou muito orgulhosa de ser portuguesa e não acho que seja da geração á rasca, mas sim da geração mal preparada pelo estado e pelos pais para enfrentar as dificuldades da vida.
De Kruzes kanhoto a 7 de Março de 2011 às 16:05
Votei no Coelho, votei nos "Homens da Luta" e votarei em tudo o que possa de alguma forma ridicularizar a classe politica. E isso de atribuir nomes às diferentes gerações é tudo uma grande tanga. Na politica, e em tudo o que gravita em seu redor, há gente de todas as idades mas nenhum está à rasca.

Comentar post

mais sobre mim

Veja também:

"Pesquisa Sentimental"

 

 

contador

pesquisar

posts recentes

Concurso de blogues

Voltarei

Silêncio...

Horta e Alorna

A Selecção, minuto a minu...

Cosmopolis

Millôr Fernandes

A maçã chinesa

Transigir ou não transigi...

EDP, o verdadeiro escânda...

arquivos

Janeiro 2013

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

who?

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue!

subscrever feeds